Faturamento do e-commerce nacional pode chegar a R$ 77,5 bi em 2018

Faturamento do e-commerce nacional pode chegar a R$ 77,5 bi em 2018

 e-commerce nacional77,5 bilhões!

Esse é a expectativa de faturamento do e-commerce brasileiro em 2018, segundo a E-Consulting, empresa focada em tecnologia e comunicação digital. De acordo com os dados, o aumento será de 20,9% em relação ao ano passado, que alcançou R$ 64,1 bilhões.

Aliás, os donos e gestores de comércios eletrônicos podem comemorar, porque os números superam até as expectativas da própria consultoria, que realiza a apuração dos dados há 14 anos.

Isso porque, desde 2015 o levantamento apontava registros estáveis ou em queda no e-commerce nacional, que chegaram a ultrapassar a casa dos 2% na época.

Segundo o relatório da E-Consulting, um dos motivos que contribuem para o reaquecimento desse segmento em 2018 são as estratégias de operadoras de telefonia e meios de pagamentos para incentivar o consumo e o pagamento via internet.

Os números revelam ainda que o total das transações financeiras que devem ocorrer na internet neste ano, 23,5% acontecerão pela plataforma mobile.

Crescimento de vendas no mobile

O CEO da E-Consulting, Daniel Domeneghetti explicou que o crescimento exorbitante do mobile ocorreu em virtude de um esforço conjunto entre operadoras, meios de pagamentos, varejistas e o próprio consumidor, que também sente mais segurança e, claro, comodidade de comprar online”, observou.

Neste ano, a previsão é que 84% dos brasileiros façam pagamentos pela web. Dentre as principais razões do consumidor usar as plataformas eletrônicas estão comodidade (55%), confiança (46%), segurança (44%) e agilidade (26%) na hora do pagamento.

O relatório da consultoria revela ainda que outros fatores de crescimento que estão associados ao aumento da projeção de vendas do e-commerce, sendo eles, a migração de consumidores do varejo físico para o digital; ações varejistas atrativas, como o Black Friday, além dos investimentos das empresas em soluções para melhorar a experiência do usuário.

Mas, não é só isso!

A consultoria ainda afirmou que a expectativa é que o ticket médio de compras do brasileiro aumente, sendo, inclusive, maior dos últimos cinco anos.

Categorias mais vendidas

A pesquisa aponta ainda que a estimativa é que os itens de saúde e beleza sejam os mais comprados do período, tendo chances de alcançar um volume de pedidos que representa, aproximadamente, 22% do montante previsto de transações no e-commerce.

Moda e acessórios vem em segundo lugar com um volume de 18%. Já os eletrodomésticos e os produtos de informática terão um número de pedidos em torno de 17%, enquanto os eletrônicos representarão um volume de 14%.

O índice do varejo online (VOL) é calculado pela E-Consulting a partir da soma trimestral das vendas online ocorridas nas lojas virtuais de automóveis, bens de consumo e turismo. O cálculo inclui em seu montante o e-commerce B2C (Business to Consumer) nos formatos tradicional, mobile commerce, social commerce e compras coletivas, bem como o nicho de C2C (Consumer to Consumer). (Com informações do site da E-Consulting)

Autor: Agência Advice 06/07/2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Postagens